domingo, 6 de abril de 2008

Questões sobre o Brasil na Globalização

01. (Uft) A inserção da economia brasileira no movimento de globalização teve início na década de 1990.
É INCORRETO afirmar que essa inserção foi acompanhada pela
a) adoção de processo industrial voltado para a substituição de importações, que reduziu a dependência do mercado interno por produtos manufaturados.
b) consolidação de um modelo econômico estruturado na liberalização comercial e na atração de investimentos estrangeiros diretos.
c) criação de agências de fiscalização das empresas privadas que se tornaram concessionárias de serviços públicos.
d) implantação de um programa de privatização das estruturas produtivas estatais – indústrias siderúrgicas e empresas de telecomunicação, entre outras.

02. (Ufpe) “O processo de privatização das indústrias de base, setor de distribuição de energia e de outros setores que praticamente sempre foram controlados pelo Estado brasileiro, foi um fato marcante na década de 1990.”
Sobre esse assunto, analise o que é afirmado abaixo.
0-0) As privatizações ocorridas nesse período foram decorrentes da aplicação de uma política econômica marxista, de caráter “neo-socialista”, posta em prática por setores ligados ao sistema financeiro internacional.
1-1) O sistema TELEBRÁS foi a primeira empresa a ser privatizada na década referida, tendo sido dividido em mais de 10 empresas de telefonia fixa e móvel.
2-2) Um dos argumentos utilizados como justificativa para as privatizações foi o de que as empresas eram ineficientes, pouco competitivas e davam prejuízos. Assim, a venda dessas empresas diminuiria os gastos do governo.
3-3) Antes de serem privatizadas, as empresas estatais que não se mostravam muito rentáveis, economicamente falando, eram, em geral, financeiramente saneadas.
4-4) As privatizações das indústrias de base ocorreram como aplicação de uma ideologia, segundo a qual a participação do Estado na economia tem que ser máxima, sobretudo em setores que não apresentem déficit financeiro.

03. (Unifor) Considere as seguintes afirmações:
I. Até recentemente, todos os atuais países subdesenvolvidos foram colônias de potências européias.
II. Atualmente, as diferenças socioeconômicas existentes entre os países são resultado da evolução do sistema capitalista.
III. A dependência financeira e tecnológica representa um dos maiores obstáculos ao desenvolvimento dos países pobres.
IV. As condições climáticas desfavoráveis, como tropicalidade ou aridez, são fatores que explicam o subdesenvolvimento.
Podem ser utilizadas para caracterizar os países subdesenvolvidos SOMENTE:
a) I e II b) I e III c) I e IV d) II e III e) III e IV

04. (Cefet) O fundamento da nova ordem econômica é a liberdade dos indivíduos. Mas o que se vê é sua destruição: a violência do desemprego, a precariedade da sobrevivência física, o medo da insegurança: o homem passou a temer o futuro. O reinado do mercado implica o reinado do consumidor, o substituto comercial (despolitizado) do cidadão: o bem público é o bem privado, a coisa pública é a coisa privada. Dizem que as fronteiras entre Estados já não funcionam, mas os trabalhadores não têm livretrânsito. Ao livre fluxo de mercadorias (no sentido Norte-Sul) e do capital não corresponde o livre-trânsito de homens; a mão-deobra farta das antigas colônias e os conflitos religiosos, estimulados, alimentam na Europa e em todo o mundo políticas migratórias racistas e discriminatórias. Importam-se empresas e mercadorias; exportam-se empregos e territórios.
E, em nome do mercado e da liberdade, do livre-câmbio e do neoliberalismo, temos o monopólio absoluto ou mais perfeito (e não estamos em face de uma contradição em termos):
O monopólio estatal pelo Estado único. O monopólio da economia. O monopólio do mercado. O monopólio dos valores. O monopólio da informação e, finalmente, o monopólio da violência e da guerra. (Roberto Amaral, Civilização e barbárie. Texto editado)
No Brasil, as idéias relacionadas à “nova ordem econômica”, ao “reinado do mercado” e à “exportação de empregos”, às quais o autor do texto se refere, caracterizaram “Planos Econômicos” nos governos dos presidentes
a) Fernando Collor e de Fernando Henrique Cardoso.
b) Juscelino Kubitschek e Luiz Inácio Lula da Silva.
c) João Batista Figueiredo e Jânio Quadros.
d) João Goulart e Fernando Collor.
e) José Sarney e Itamar Franco

05. (Unicap) Sobre a situação econômica brasileira no contexto neoliberal, são feitas as afirmações a seguir.
( ) 0 No início da década de 1990, o Brasil intensificou as barreiras protecionistas, prejudicando, assim, a entrada de investimentos internacionais no País.
( ) A adoção do modelo neoliberal pelo governo brasileiro acarretou uma certa redução de postos de trabalho nos setores Terciário e Secundário da economia.
( ) Muitas indústrias brasileiras não conseguiram competir com as estrangeiras e foram obrigadas a fechar.
( ) A política neoliberal no Brasil advoga uma maior intervenção do Estado na economia, recebendo, por isso, forte oposição das forças de esquerda internacionalistas.
( ) Com a introdução de tecnologias de informação, robótica e automação, os empregos diretos nas indústrias ampliaram-se, contribuindo, dessa maneira, para a diminuição do desemprego, em especial no início deste século.

06. (Puccamp) Na atualidade, a democracia brasileira passa por grandes desafios principalmente no tocante ao processo de inclusão social de grande parte da população. Essa inclusão social é um dos elementos fundamentais na garantia dos princípios democráticos. Parte da esquerda que faz oposição ao governo Lula defende, como forma de ampliar os direitos sociais,
a) a manutenção da política econômica baseada na estabilidade monetária e no controle do déficit público.
b) o fim da política econômica de controle dos gastos públicos e de subordinação aos interesses do grande capital.
c) a adoção da política neoliberal, uma vez que esta possibilita a ampliação do setor produtivo e da oferta por empregos.
d) a redução dos índices inflacionários como elemento fundamental para a recuperação do poder aquisitivo dos salários.
e) o aumento dos impostos sobre a renda dos trabalhadores como forma de garantir ao Estado os investimentos em educação e saúde.

07. (Pucrio) Desde as últimas décadas do século XX, o Brasil, diante das novas exigências do comércio global, vem mantendo ou criando estratégias econômicas com o objetivo de aumentar sua participação na economia mundial. Sobre o comércio exterior brasileiro, hoje, NÃO É CORRETO afirmar que:
a) as exportações de produtos industrializados superam, em valor, as de produtos agrícolas;
b) a valorização do real frente ao dólar aumenta a competitividade das exportações brasileiras;
c) os principais importadores dos produtos industrializados brasileiros são os Estados Unidos e a Argentina;
d) os superávits crescem graças ao aumento das exportações de produtos industrializados e de commodities;
e) as ações políticas mais agressivas aumentaram as relações comerciais com a Índia, a África do Sul, os países do Oriente Médio e a China.

08. (Cesgranrio) A década de 90 do século XX será lembrada na história da economia brasileira como o período em que o Brasil entrou para a era da globalização, ao mesmo tempo em que se desmontaram as bases do modelo de substituição das importações, adotado desde a ultima década do século XIX.
Sobre o processo mencionado, pode-se afirmar que:
I – a estruturação de um novo modelo desenvolvimentista no Brasil permitiu o aparecimento de um ritmo de crescimento econômico classificado como um dos mais elevados do mundo;
II – para atingir as suas metas, o governo brasileiro implementou a estabilidade econômica, com a redução dos altos juros inflacionários que prevaleciam antes da adoção do Plano Real;
III – a redução dos gastos públicos e a diminuição do papel do Estado na economia levaram a cortes nos investimentos em infra-estrutura, piorando a oferta de serviços públicos;
IV – a paridade cambial que marcou este período resultou em uma aceleração do consumo e, em conseqüência, no aumento da oferta de emprego e na elevação da qualidade de vida da população.
Estão corretas as afirmativas:
a) I e II, apenas. b) I e III, apenas. c) II e III, apenas. d) II e IV, apenas. e) III e IV, apenas.

09. (Pucrs) Na Conferência da Organização Mundial do Comércio, realizada em setembro de 2003, em Cancun (México), o Brasil teve uma posição de destaque ao
a) defender uma ampliação da política de livre comércio para as Américas, que beneficiasse também os interesses do Segundo Mundo.
b) liderar um bloco de mais de 20 países visando à revisão da política protecionista dos países ricos de subsídios ao setor agrícola.
c) propor o fim da intervenção americana no Iraque e uma solução pacífica para o conflito entre árabes e israelenses no Oriente Próximo.
d) preconizar a formação de um fundo internacional para a erradicação da fome no mundo, administrado pelo Brasil.
e) defender a proibição internacional do cultivo e da comercialização de produtos geneticamente modificados (transgênicos).

10. (Uerj) "Quem sabe, então, se não seria conveniente, do ponto de vista do interesse nacional, direcionar nossos esforços para a consolidação do Mercosul, como forma de resgatar o velho sonho de integração econômica latino-americana, concebida originariamente - e com surpreendente atualidade nos dias de hoje - em oposição aos mesmos que agora tratam de nos impingir a Alca." (TAVARES, Maria da Conceição. "Folha de São Paulo", 29/03/98.)
A crítica de economistas brasileiros sobre a formação da Alca, ao mesmo tempo em que defendem a consolidação do Mercosul, justifica-se principalmente porque:
a) o pequeno porte das empresas do setor de serviços nos conduziria a uma situação vantajosa no mercado externo
b) o fim das barreiras comerciais no continente nos colocaria numa situação de falência do setor industrial de capital estrangeiro
c) a estrutura industrial e agrária subordinada aos países centrais nos levaria ao confronto com outras organizações supranacionais
d) a abertura indiscriminada às exportações norte-americanas nos reduziria à condição de produtores de bens primários e de "commodities"

11. (Pucrio) "As estruturas estatais no mundo moderno se construíram em torno de um território nacional. Esse foi o parâmetro básico da atuação dos Estados, embora não o único. O Estado desenvolvimentista brasileiro não fugiu a essa regra e delineou o perfil do Brasil atual. Mal ou bem, criou-se por conta da arquitetura estatal um conjunto de interesses nacionais que por vezes se opõem, mesmo que de modo frágil, aos interesses estrangeiros. Na verdade, isso é comum a todas as nações modernas. Extraído de OLIVA, Jaime. GIANSANTI, Roberto. "Temas da Geografia do Brasil". São Paulo: Atual, 1999.
No Brasil, estamos assistindo ao desmonte desse Estado desenvolvimentista. Dentre os argumentos favoráveis a esse desmonte, podemos citar:
I) O desenvolvimento socioeconômico não pode ser pensado a partir da dimensão nacional devido à crescente globalização da produção.
II) O desenvolvimento encontra-se no mercado e na integração econômica mundial, já que as empresas tomam decisões e operam recursos segundo uma lógica de integração mundial.
III) Para a integração mundial, é necessário remover os obstáculos que dificultam a presença dos interesses da economia global.IV) O território será mais atraente quanto mais vantagens competitivas apresentar ao capital externo.
Estão corretas as afirmativas:
a) I e III. b) II e IV. c) I, II e III. d) II, III e IV. e) I, II, III e IV.

12. (Ufmg) Considerando-se as questões que envolvem o processo de integração da economia brasileira com a economia mundial globalizada, é INCORRETO afirmar que
a) a abertura da economia aos produtos estrangeiros, por um lado, contribuiu para o aumento da competitividade, mas, por outro, favoreceu o fechamento de postos de trabalho.
b) a persistência da concentração de renda no País acentua a diferença entre o tamanho da população e o tamanho do mercado, desestimulando pequenos e médios empresários, que produzem sobretudo para o consumo interno.
c) a reserva de mercado para o capital nacional, no setor eletroeletrônico, contribuiu para afugentar o capital estrangeiro dos ramos industriais que empregam tecnologia de ponta.
d) o custo/salário da mão-de-obra brasileira vem perdendo importância como fator de atração de investimentos, já que a indústria tem privilegiado o uso intensivo de capital, em detrimento do trabalho.

13. (Puccamp) O Mercosul "é uma plataforma de inserção competitiva numa economia mundial que simultaneamente se globaliza e se regionaliza em blocos". (Celso Lafer, ex-chanceler brasileiro)
Sobre os integrantes desse bloco pode-se afirmar que,
a) o Paraguai tem taxas de mortalidade e analfabetismo semelhantes às da Argentina.
b) a Argentina e o Uruguai têm os melhores indicadores sociais.
c) o Brasil tem a maior esperança de vida e o menor crescimento vegetativo.
d) o Paraguai e o Uruguai têm os mais baixos percentuais de população urbana.
e) o Brasil e a Argentina apresentam volumes de dívida externa semelhantes.

14. (Uff) A respeito das relações entre o movimento de entrada e saída de capitais nos "países em desenvolvimento" e a estrutura econômica desses países, entre 1991 e 2000, assegura-se que:
a) O movimento de entrada e saída de capitais nos países em desenvolvimento demonstra o caráter especulativo do dinheiro globalizado que pouco alterou as estruturas econômicas desses países.
b) A fuga de capitais registrada no final da década de 90 decorreu das restrições à livre circulação do capital financeiro estabelecidas pelos países em desenvolvimento.
c) O crescimento econômico dos países em desenvolvimento aumentou sua participação no Mercado Financeiro Internacional, fato evidenciado pela saída de capitais observada no final da década de 90.
d) O intenso movimento de capitais nos países em desenvolvimento sustentou as políticas de fortalecimento das empresas nacionais e proporcionou novos meios de pagamento de suas dívidas externas.
e) O movimento de entrada de capitais nos países em desenvolvimento foi influenciado, especialmente, pelo processo de abertura do mercado e pela privatização de empresas estatais.

15. (Ufpi) Com relação a algumas características sócio-econômicas dos países subdesenvolvidos, assinale a alternativa correta.
a) Forte influência de empresas multinacionais que controlam grande parte da economia, além de considerável dívida para com bancos estrangeiros.
b) Nível científico e tecnológico elevado, com altas taxas de escolaridade proporcionando um grande crescimento industrial.
c) Elevado nível de vida da população, com boas condições de alimentação e habitação, além de elevada eficiência na prestação de serviços.
d) Agricultura intensiva com elevados índices de produtividade resultantes do emprego de tecnologia avançada.
e) A população apresenta no seu conjunto elevado nível de vida com baixas taxas de mortalidade infantil e de expectativa de vida.

16. (Ufmg) Nos últimos anos, o Brasil experimentou um amplo processo de privatização da economia.É INCORRETO afirmar que esse processo
a) constituiu uma resposta do Estado brasileiro à necessidade de se tornar mais ágil nas questões que lhe competem e, também, às pressões neoliberais, que acompanham a tendência internacionalmente imposta.
b) aumentou o índice de desemprego no País pelo fechamento de postos de trabalho, uma das exigências do capital privado para se tornar competitivo em nível mundial.
c) fortaleceu a presença do Estado brasileiro dentro das fronteiras políticas nacionais em relação tanto ao capital especulativo quanto ao produtivo, que interferem na economia do País.
d) contribuiu para um expressivo aumento da participação do capital estrangeiro na economia brasileira, no setor produtivo e naqueles de prestação de serviços, anteriormente considerados monopólio do Estado.

3 comentários:

Maria disse...

as questões estão bem elaboradas

Yorranne disse...

gabarito?

Marília disse...
Este comentário foi removido pelo autor.